Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Mato Grosso, 23 de Janeiro de 2022

Noticias

AÇÕES DE ENFRENTAMENTO: Ministro defende medidas preventivas para evitar os incêndios no Pantanal

Governo disponibilizou quase R$ 47 milhões para o combate às chamas

05 de Novembro de 2020 as 08h 00min

Foto: Força de Segurança Nacional

DA REPORTAGEM

 

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, defendeu ontem (4) a importância de medidas preventivas para evitar que os incêndios no Pantanal se repitam nos próximos anos. De acordo com o ministro, as condições climáticas potencializaram os incêndios florestais que destruíram parte do Pantanal em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. A seca deste ano, disse Marinho, foi uma das “mais severas dos últimos 50 anos”, favorecendo que as chamas se alastrassem e consumissem mais de 4 milhões de hectares de vegetação (cada hectare corresponde às medidas aproximadas de um campo de futebol oficial).

O ministro participou de reunião pública remota da comissão temporária do Senado criada para acompanhar as ações de enfrentamento aos incêndios que atingiram o bioma.

“Nossa preocupação é estarmos afinados, estarmos juntos nesse processo de enfrentamento aos problemas que estão acontecendo de forma mais amiudada”, disse Marinho ao destacar que os incêndios que historicamente atingem a vegetação pantaneira têm se tornado mais potentes.

“Tivemos, este ano, o período mais seco das últimas cinco décadas, e que pode se repetir em anos subsequentes. Não queremos que novas catástrofes afetem a flora e a fauna como ocorreu este ano, mas novos incêndios vão ocorrer, isso é inexorável. É como sempre aconteceu”, disse.

Marinho disse que o ministério disponibilizou quase R$ 47 milhões para o custeio de ações de combate às chamas no Pantanal. “Já liberamos mais de R$ 20 milhões para os dois estados [MS e MT] pagarem brigadistas, comprarem equipamentos e combustível. Além disso, disponibilizamos R$ 19 milhões para o Instituto Chico Mendes [ICMBio], que estava com dificuldades de pagar os brigadistas. E no caso específico de Mato Grosso do Sul, liberamos mais R$ 6 milhões para reconstrução de pontes destruídas. Ou seja, quase R$ 47 milhões já foram disponibilizados”, completou.

Veja Mais

Sinop: idosos e PCD devem emitir cartão para ocupar vagas exclusivas

Pessoa não precisa ser o condutor do veículo, mas o cartão deve estar à mostra

Publicado em 23 de Janeiro de 2022 ás 07h 00min


Sem patrocínio, Humaitá abre votação para personalizar camisa

Publicado em 22 de Janeiro de 2022 ás 17h 00min


Jogadores do Flamengo relatam alta intensidade nos treinos

Preparador explica que período na Inglaterra o fez dar maior atenção a trabalhos físicos de maior esforço

Publicado em 22 de Janeiro de 2022 ás 14h 00min


Jornal Online

Edição nº 0717 21/01/2022