Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Mato Grosso, 06 de Julho de 2022

Noticias

Bolsonaro quer que PL tenha candidato próprio ao Paiaguás

O nome ventilado é o do senador e presidente estadual da sigla, Wellington Fagundes

18 de Fevereiro de 2022 as 06h 00min

O nome ventilado é o do senador e presidente estadual da sigla, Wellington Fagundes

Desde que se filiou ao Partido Liberal (PL), o presidente Jair Bolsonaro vem costurando a composição da sigla em todos os estados visando as eleições de outubro deste ano.

Seu interesse é que em Mato Grosso a legenda tenha candidatura própria ao Palácio Paiaguás.

Para isso, o nome local de maior expoente é o do senador e presidente estadual do PL, Wellington Fagundes. O senador vê como natural a pretensão do presidente da República.

“Isso é natural, nós temos um candidato à presidência da República, então nós vamos tentar construir uma aliança, fazer de tudo para construir uma aliança que tenha um candidato a governador forte, do PL? pode ser, mas também pode ser de outro partido já que a minha candidatura a senador também já é uma candidatura natural. O primeiro projeto nosso, maior, do PL, é a reeleição do presidente Jair Bolsonaro e o projeto maior não pode ser prejudicado pelo projeto que seja, digamos, por interesse pessoal, então agora nós vamos mais do que nunca consolidar esse trabalho e nós estamos dialogando muito, agora, todos os estados são importantes para quem vive no estado, claro que pra mim que sou de Mato Grosso, o projeto de Mato Grosso é extremamente importante, isso que eu estou levando”, disse.

Pelas palavras, Fagundes não pensa em trocar o certo pelo duvidoso, já que em uma eventual disputa à reeleição no Senado aparece com o favorito das pesquisas. Além do desejo de Fagundes continuar no Senado Federal, outro impeditivo para as pretensões de Bolsonaro em ter o governo de Mato Grosso comandado pelo seu partido parte da análise do próprio Fagundes que acha inviável o PL sair como cabeça de chapa majoritária, e também indicar o nome ao Senado.

Tudo isso porque o presidente estadual do PL acredita em uma composição ampla com outras legendas para a disputa. “Dificilmente nós vamos ter candidato a governador e senador em chapa pura, vamos procurar formar essa aliança e o presidente Bolsonaro quer que a gente construa para ajudar a melhorar Mato Grosso, se ele quer vai ajudar, vai apoiar e vai estar aqui presente”, completa.

Outro fator que pode barrar as pretensões de Bolsonaro em Mato Grosso é a possibilidade do PL local embarcar no apoio ao atual governador, Mauro Mendes (União Brasil) que mesmo não declarando oficialmente, deve sim disputar a reeleição.

“Primeiro que o governador Mauro nunca disse que é candidato, então a gente não pode fazer aliança com quem não é candidato, então nós vamos procurar e é esse trabalho que nós estamos fazendo, vamos buscar filiar nomes para deputado estadual, deputado federal, e aí as possíveis candidaturas governador, suplente, vice, tudo isso a gente tem que discutir nomes para que a gente possa compor mais lá pra frente”, concluiu.

Fonte: CLEMERSON SM

Veja Mais

Para baixar preço da água, Dorner não descarta romper contrato

Publicado em 06 de Julho de 2022 ás 15h 48min


Benedetto pediu para cobrar o último pênalti contra o Timão

Publicado em 06 de Julho de 2022 ás 12h 47min


Bustos dá espaço a experientes para tentar tirar Santos da crise

Publicado em 06 de Julho de 2022 ás 12h 04min


Jornal Online

Edição nº 0830 06/07/2022