Olá! Utilizamos cookies para oferecer melhor experiência, melhorar o desempenho, analisar como você interage em nosso site e personalizar conteúdo. Ao utilizar este site, você concorda com o uso de cookies.

Mato Grosso, 08 de Dezembro de 2021

Noticias

Distribuição das chuvas favorece semeadura da safra em Mato Grosso

Somente a região Sudeste trouxe acumulado de chuva abaixo do esperado

25 de Novembro de 2021 as 14h 30min

Chuvas foram generalizadas e bem distribuídas em todo o estado

A Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop, divulgou o primeiro Boletim Agrometeorológico da safra 2021/2022 em Mato Grosso. De acordo com a publicação, a distribuição das chuvas no estado tem sido favorável para a semeadura da soja em todas as regiões.

Os mapas de precipitação acumulada e de anomalia de precipitação mostram que em setembro, quando termina o vazio sanitário da soja e começa a janela de semeadura, as chuvas foram bem distribuídas em quase todo estado. Somente na região sudeste o acumulado de chuva ficou abaixo do esperado.

Em outubro, quando começa a janela de semeadura com o menor risco estabelecido pelo Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc), as chuvas foram generalizadas e bem distribuídas em todo o estado, sendo que a região médio-norte teve uma concentração um pouco maior. O mesmo cenário persistiu nos 17 primeiros dias de novembro, sendo que, além da região médio-norte, a região nordeste também teve uma grande concentração de chuvas.

De acordo com os autores do Boletim, a maior concentração de chuvas pode ter causado alguns transtornos pontuais, mas, de maneira geral, não prejudicou o estabelecimento da safra, que neste ano está mais adiantada em relação ao ano anterior. Conforme o 2º Levantamento da Safra de Grãos 2021/2022 da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), até o fim de outubro 84,3% das lavouras de soja já estavam semeadas. No mesmo período de 2020 o percentual era de 44,7%.

O Boletim Agrometeorológico também traz os dados pluviométricos da estação meteorológica automática da Embrapa Agrossilvipastoril, em Sinop. Conforme os registros, em setembro houve 59,2 mm de precipitação acumulada. Dos últimos cinco anos, somente em 2018 o volume havia sido maior.

Em outubro foram 115,1 mm, menor volume para este mês nos últimos cinco anos. Já nos dez primeiros dias de novembro foram registrados 365,2 mm, maior volume da série histórica, com o dobro do volume registrado em 2020. No somatório de agosto a outubro, 2021 tem a maior precipitação acumulada para o período nos últimos cinco anos, com 539,7 mm.

“O grande volume de chuva registrado no primeiro decêndio de novembro favoreceu muito o avanço do plantio e o desenvolvimento inicial das lavouras de soja da safra 2021/2022 em Sinop”, afirma a publicação.

BOLETINS

A safra 2021/2022 é a sexta seguida em que pesquisadores da Embrapa Agrossilvipastoril fazem acompanhamento por meio de Boletins Agrometeorológicos. A cada ciclo agrícola são publicados três documentos. O primeiro é feito em novembro e analisa o período de semeadura da primeira safra.

O segundo, publicado em março, retrata o desenvolvimento e colheita da soja e a semeadura da segunda safra. O terceiro boletim é feito em junho e traz os dados do restante da segunda safra.

Esta publicação é um serviço desenvolvido pela Embrapa, sob demanda do setor produtivo, para subsidiar com informações técnicas produtores e instituições de financiamento e crédito rural.

Todas as edições anteriores ficam disponíveis no site da Embrapa Agrossilvipastoril (www.embrapa.br/agrossilvipastoril), no menu Biblioteca.

Fonte: ASSESSORIA DE IMPRENSA

Veja Mais

Soja: preço interno oscila com certa força ao longo da última semana

Publicado em 08 de Dezembro de 2021 ás 11h 00min


Decreto exclui Casa da Moeda de programa de desestatização

Publicado em 08 de Dezembro de 2021 ás 10h 00min


O que o Grêmio precisa para não ser rebaixado

Tricolor tem que vencer o Atlético-MG e torcer por derrotas de Juventude e Bahia

Publicado em 08 de Dezembro de 2021 ás 09h 30min


Jornal Online

Edição nº 0684 08/12/2022